Os riscos biológicos são decorrentes da exposição a agentes dos reinos animal e vegetal e de microrganismo e de seus subprodutos. Entre os agentes de risco biológicos podemos citar como mais importantes: bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, entre outros.

A exposição ocupacional a agentes biológicos decorre da presença desses agentes no ambiente de trabalho, podendo-se distinguir duas categorias de exposição:

1. Exposição derivada da atividade laboral que implique a utilização ou manipulação do agente biológico, que constitui o objeto principal do trabalho.

2. Exposição que decorre da atividade laboral sem que essa implique na manipulação direta deliberada do agente biológico como objeto principal do trabalho.

Dentre inúmeras doenças profissionais causadas por agentes biológicos, incluem-se, por exemplo: a tuberculose, o tétano, a malária, a febre tifóide e a febre amarela.

Tais doenças só devem ser consideradas profissionais, quando estiverem diretamente relacionadas com exposições ocupacionais aos microorganismos patológicos, isto é, quando causadas diretamente pelas condições de trabalho.

Os trabalhadores de certos setores enfrentam um perigo mais elevado de exposição a agentes biológicos nocivos:

- Cuidados de saúde

- Agricultura

- Serviços veterinários

- Limpeza e manutenção

- Gestão de resíduos e esgotos

- Jardinagem

- Trabalho laboratorial